Una carta

Sergio Larraín è stato scelto per un film cileno, riconciliandosi mondialmente per i trabalhos di Revista Magnum. Quando vedo la tua dimostrazione di interesse per la fotografia, Sergio non è il protagonista della fotografia; lhe deu uma carta.

Compartilho com vocês porque gosto do conteúdo da corrispondência, aliás, é interessante and construtivo, and ainda serve para, comparativamente, diverses alimentari with discussões… tanto per i fotogrammi quanto per i nostri fotogrammi.

“A primeira coisa é ter uma maquina que você goste, porque se trata de sentir-se bem com ela, uma câmera que seja agradável para as sua mãos, pois a ferramenta é fondamentale para fazer bem um trabalho, e que seja o mínimo indispensável e nada mais. In segundo lugar, tenha uma impressora ao seu gosto, un mais bacana e possibilità semplici. Depois é partir para a aventura, como um veleiro, soltar as velas, todos os dias vá para um lugar e outro, caminhe pelas ruas, vagueie e vagueie por lugares desconhecidos, quando estiver cansado senti-se à sombra de uma árvore, coma uma fruta ou pão, tome um trem, vá para onde the the na cabeça, e olhe, osserva, desenhe também.

Saia do mundo conhecido, entre naquele que nunca viu, deixe-se levar pelo gosto, vá muito de um lugar ao outro, aonde the the na na telha. Aos poucos você vai encontrando as coisas, e vão te chegando imagens, como aparições, fotografe-as. De volta para casa, revele (edite), faça cópias, osservare o que você pescou, todos os peixes, pendure com fita adesiva na parede, imprima in tamanho de cartão Postal e olhe para elas.

Depois, comece a brincar de recortar (cropar), Experimente Cortes and Enquadramentos, aprendo composeção, geometria, reenquadre com perfeição e imprima or que você reenquadrou, coloque novamente e deixe na parede. Vai olhando e osservando. Quando ti sentirò sicuro in questa foto, è immediatamente pronto per un po ‘di tempo. Una foto per il boa coloque e la luce del sole, non c’è finale, guardati come boa, nada mais (guardar o medíocre faz você estancar no medíocre). Aree fiere o que for bom, o que é “top”, jogue o resto fora, porque a gente carrega na mente tudo o que conserva. Depois faça ginástica, distraia-se com outras coisas e não se preocupe mais.

Partecipa a un trabalho de outros fotógrafos, procurati questo bom in livros, revistas, ecc … Guardia o melhor, se si recita in un reportage, e si passa a fare il tutto con il trabalho. Se hai bisogno di un po ‘di tempo, dai uno sguardo al vivo o alla rivisitazione di una foto con una foto, in esposizione. Deixe por semanas, meses, enquanto aquela foto for significativa para você, a gente demora muito para enxergar, mas pouco a pouco, o segredo vai se revelando, and você vai vendo o que é bom, a deep-like de cada coisa.

Continua vivendo sossegado, desenhe um pouco, saia para passear e nunca se force sair para fotografar, para noder perder a poesia, a vida que existe nisso adoece, com for forar or amor oru a amizade, não se pode. Quando estiver bem, faça outra viagem, saia para passear, vaguear. Vai a Beira de Um Rio, Andar Cavalo, ou até o alto das montanhas. Alguns lugares são sempre maravilhosos, perca-se na magia, passe alguns dias dando voltas por morros and ruas, quando chegar a noite, durma em algum lugar, em num saco de dormir, envolva-se com aquela realidade, concentrado, nada convencional te distrai. Deixe-se levar por passos lentos, devagarzinho, come se fosse un controllo senza cura, osservando, cantarolando, eo que for aparecendo vai fotografando, agora com mais cuidado, você já aprendeu a compor e enquadrar, já faz isso com a própria câmera, e assim continue, enchendo o saco de peixes e volte para casa.

Aprenda sobre foco, diafragma, primeiro plano, saturação, velocidades e ecc…, aprendo a jogar com come possibilidades de sua câmera, e junte a isso poesia (a sua ea dos outros), continua a fare il bom dos outros e faça uma coleção de coisas ótimas, um resumo em uma pasta. Siga aquilo que é o seu gosto e mais nada, acredite apenas no seu gosto. Você é a vida, ea vida é aquilo que você escolhe. O que não te agrada, não se importe, não the the serve. Você é o único critério, mas veja as coisas de todo mundo.

Come aprendo, e quando tiver algumas fotos realmente boas, amplie e faça uma pequena Exposição, ou um pequeno livro and mande encadernar, e assim vá estabelecendo uma noção, ao mostá-las você se do do do so são, ao vê-las diante dos demais, é aí que você as sente. Fazer Uma Exposição é dar algo, como dar de comer, bom para os demais mostrar-lhes algo que foi feito com trabalho e gosto. Non è un caso, è così bello e bello per tutti, e per la voce, porque vai te testando.

Bom, questo è anche il modo in cui è arrivato, è un vero e proprio vagabondo, un ficar sentado debaixo de uma árvore, num lugar qualquer. É um andar sozinho pelo universo. Um novo jeito de olhar, mundo convencional coloca um wall diante de você. È preciso in tempo reale durante il periodo di fotografia.

Tchau.

Dipois te escrevo mais. Incontrare una persona che ama il verde è una chave de tudo.
Guarda insieme a quem vagabundear, così tanto tanto como você, não hesite, é bom também. ”